​​Notícias

Não há itens a serem mostrados neste modo de exibição.
  
  
  
  
  
Resumo
  
13/01/2021InstitucionalA Eletrobras foi mais uma vez selecionada para compor a carteira do Índice Carbono Eficiente

A Eletrobras foi mais uma vez selecionada para compor a carteira do Índice Carbono Eficiente (ICO2 B3), divulgada ontem (4), pela B3. Esta é a 11ª carteira do índice, que já está em vigor e vale até 30 de abril. O ICO2 B3 reúne 62 ações de 58 companhias, pertencentes a 22 setores. Foram convidadas a participar as empresas que detêm as cem ações mais líquidas na B3 e que apresentaram formalmente seus inventários de emissões de gases de efeito estufa em 2020.

O número de empresas é 132% maior em relação à carteira que vigorou em 2020, que tinha 26 ações, de 25 companhias, na qual a Eletrobras também esteve listada. Criado em 2010, o ICO2 B3 tem o objetivo de ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil.

"A listagem da Eletrobras na carteira ICO2 se soma às nossas excelentes pontuações em outros questionários, tais como o CDP e o Vigeo Eiris, e na dimensão mudança climática do DJSI e do ISE/B3, evidenciando a compreensão pelo mercado de que a nossa empresa está preparada para a transição para uma economia de baixo carbono", observa o gerente de Meio Ambiente da Eletrobras, Anibal Rodrigues.

Para a Eletrobras, o reconhecimento ao trabalho em prol de negócios sustentáveis está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 13 e 16 (Ação Contra a Mudança Global do Clima e Paz, Justiça e Instituições Eficazes), priorizados pela estratégia da companhia.

Relaciona-se ainda à divulgação do Inventário de Emissões de Gases de Efeitos Estufa das Empresas Eletrobras, às políticas Ambiental e de Sustentabilidade, assim como às boas práticas previstas no  Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD), iniciativa que busca a elaboração e a implementação de recomendações para a divulgação e análise de riscos e oportunidades relacionados às questões climáticas.

Metodologia

O peso de cada ação no índice considera a participação no IBrX 100 (cem ações mais negociadas no Mercado Bovespa), no qual os ativos são ponderados: (i) pelo valor de mercado do "free float" (ativos que estão em circulação) e a razão entre as emissões de gases de efeito estufa informadas no inventário para o ano-base (medidas em toneladas de CO2 equivalente – tCO2e) e (ii) a receita bruta reportada nas demonstrações financeiras padronizadas apresentadas no Brasil relativas ao mesmo ano-base.

  
26/10/2017geração de energiaConfira a lista das 51 propostas classificadas. A divulgação do

​Teste

  
19/04/2017financeiroO presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, recebeu do diretor-geral brasileiro de Itaipu, L

​A Itaipu Binacional entregou, nessa terça-feira (18), dois veículos elétricos à Eletrobras, em comodato. A entrega do Zoe e do Fluence elétricos aconteceu na sede da holding, em Brasília, e reuniu o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior; o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Luiz Fernando Vianna; o coordenador brasileiro do Programa Veículo Elétrico (VE) da Itaipu, Celso Novais, e outras autoridades.

Foto-Entrega-VEs-Eletrobras-Itaipu-01.jpg

Com os dois carros cedidos à Eletrobras, a Itaipu soma, atualmente, dez veículos elétricos entregues em regime de comodato a entidades como Copel, Exército, ONU Mulher, Universidade Federal de Santa Catarina e governo do Paraguai. Na frota própria, Itaipu mantém 100 veículos elétricos, de carros de passeio até avião.

Ferreira Junior ressaltou a importância da Itaipu na pesquisa e desenvolvimento de veículos elétricos e, também, o fomento da indústria brasileira para a criação de novos modelos de negócios baseados nesta tecnologia. “A Itaipu está de parabéns”, disse. “Nenhuma outra empresa investiu tanto em conhecer e divulgar a tecnologia do veículo elétrico como a Itaipu”, afirmou. “Hoje, eu sinto orgulho ter a empresa no grupo Eletrobras”.​


O presidente da Eletrobras é um grande entusiasta da mobilidade elétrica, que, segundo ele, será o “futuro inevitável” do transporte no mundo todo. Antes de assumir o cargo, em julho do ano passado, ele presidiu a CPFL Energia por 12 anos, período em que criou o Programa de Mobilidade Elétrica - Emotive. Mais tarde, a CPFL tornou-se uma das parceiras do Programa Veículo Elétrico, da Itaipu.

Foto-Entrega-VEs-Eletrobras-Itaipu-02.jpg

“O Brasil tem um potencial muito grande pela frente e não há dúvidas de que este será o mercado do futuro”, completou Ferreira Junior. “O que a gente pode fazer é compartilhar estes dez anos de pesquisa do Programa VE para ajudar a indústria a crescer e criar, por exemplo, um motor nacional, como a Itaipu já está fazendo com o Twizy”, concluiu.

Para Vianna, os dez anos de experiência do Programa VE dão protagonismo à empresa na área de mobilidade elétrica. “É a nossa forma de dar uma contribuição ambiental à sociedade”, resumiu, ao elogiar o programa. E complementou: “A intenção é que os elétricos cheguem a outras empresas da holding como um incentivo à divulgação da tecnologia do VE”.

Mobilidade elétrica 

Os modelos entregues à Eletrobras são veículos de passeio para uso urbano. O Renault Zoe tem autonomia de 100 km a 150 km, velocidade máxima de 150 km/h e consumo de 146 Wh/km (watt-hora por quilômetro). O Fluence tem autonomia de 90 km a 140 km, pode chegar a 135 km/h e consome 140 Wh/km. Ambos 100% elétricos e silenciosos, eles representam todas as vantagens econômicas e ambientais dos veículos elétricos.

“Nós assinamos o Acordo de Paris sobre a redução das emissões dos gases do efeito estufa e o veículo elétrico é uma ótima oportunidade para diminuirmos as emissões de nossa frota”, disse Wilson Ferreira, lembrando que os motores a combustão e as queimadas são os dois maiores emissores de gases estufa do Brasil.

Foto-Entrega-VEs-Eletrobras-Itaipu-03.jpg

Menos CO2

Segundo levantamento do Programa VE, em dez anos os veículos elétricos de Itaipu rodaram 836 mil km e evitaram a emissão de 87 toneladas de CO2. Para neutralizar essas emissões seria necessário o plantio de 498 árvores. Ampliando o cálculo à frota brasileira, que roda em média 670 bilhões de km por ano, as emissões evitadas seriam de 69,7 milhões de toneladas de CO2, que, para serem neutralizadas, exigiriam 400 milhões de árvores plantadas.


Outro aspecto positivo é a eficiência energética, que é de 90% para carro elétrico, contra 37% dos movidos a gasolina. O custo da energia é de 1/5 em comparação ao combustível. Na Itaipu, os dez anos do Programa VE resultaram em uma economia de R$ 240 mil – considerando que a própria empresa produz a energia que abastece os carros (se a energia fosse comprada, a economia seria de R$ 110 mil). Em todo o Brasil, a economia seria da ordem de R$ 100 bilhões ao ano.


Programa VE
 

Criado em 2006 por solicitação da Eletrobras, o Programa VE da Itaipu conta hoje com uma frota de 100 veículos, incluindo carros de passeio, miniônibus, ônibus híbrido (elétrico e etanol), caminhão, veículo off-road e um avião elétrico de dois lugares. “O programa está alinhado às diretrizes da Eletrobras em relação à mobilidade elétrica”, explicou Novais. “É do interesse da Eletrobras promover a mobilidade sustentável e preparar o setor elétrico para esta tecnologia. São várias frentes novas de pesquisa que precisam ser tratadas pelo setor e a Itaipu vem conduzindo este processo”.


De acordo com o coordenador, o Programa teve um papel inicial importante na montagem dos veículos, em uma época em que a tecnologia ainda era incipiente no mundo todo. Essa primeira etapa ajudou a criar uma cadeia de fornecedores de componentes que, hoje, são fundamentais para que empresas – como a Renault, por exemplo – tragam seus veículos para o Brasil.


“Nosso foco atual é buscar soluções de infraestrutura e novas possibilidades de negócio que surgem com a tecnologia, novos modelos de operação e de armazenamento de energia”, avaliou Novais. Em um futuro próximo, conclui ele, a infraestrutura de abastecimento estará consolidada e surgirão novos modelos, como os veículos integrados à rede, que poderão fornecer a energia acumulada para ser usada no horário de pico.


Fonte: Divisão de Imprensa de Itaipu Binacional - Fotos: Sergio Amaral (Itaipu Binacional)

  
11/04/2017geração de energiaA Eletrobras divulgou fato relevante com esclarecimentos sobre indenizações de ativos de transmissão

​A Eletrobras divulgou, nesta terça-feira (11), fato relevante com esclarecimentos sobre a concessão de tutela antecipada parcial em favor da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Livres (Abrace), da Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro) e da Associação Brasileira dos Produtores de Ferroligas e de Silício Metálico (Abrafe), no âmbito do processo judicial promovido pelas referidas associações em face da União e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), visando à suspensão dos efeitos sobre suas tarifas do pagamento dos créditos relativos aos ativos considerados não depreciados existentes em 31 de maio de 2000 (RBSE), devidos às concessionárias de transmissão que renovaram suas concessões, em 2013, nos termos da Lei 12.783/2013.


Leia aqui a íntegra do fato relevante​



Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras 
 ​
  
07/04/2017resultadosO engenheiro, economista e professor Antonio Dias Leite faleceu na tarde de ontem (6), aos 97 anos.

​A Eletrobras comunica, com pesar, que Antonio Dias Leite faleceu, aos 97 anos, na tarde de ontem (6), no Rio de Janeiro.


Engenheiro, economista e professor emérito da UFRJ, Antonio Dias Leite foi ministro de Minas e Energia, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda e presidente da Vale. No Ministério de Minas e Energia, coordenou grandes projetos, como Itaipu, a criação da Eletrobras Eletronorte e o levantamento da Amazônia (Projeto Radam) e da Plataforma Continental (Projeto Remac), entre outros.


Também foi responsável na Fundação Getulio Vargas pela primeira estimativa de renda nacional no Brasil. Publicou 18 livros, dentre eles "A Energia do Brasil", vencedor do Prêmio Jabuti.



Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras

  
04/04/2017resultadosDurante o evento, Wilson Ferreira Junior destacou a importância da criação do Centro de Serviços Com

​O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participou, nesta terça-feira (04), da cerimônia de comemoração dos 60 anos da Eletrobras Furnas, na sede da empresa, em Botafogo, no Rio de Janeiro. O evento contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e do diretor-presidente da Eletrobras Furnas, Ricardo Medeiros.


Foto-Eletrobras-Furnas-60-Anos.jpgPresidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, e ministro de Minas e Energia,
Fernando Coelho Filho, recebem, do diretor-presidente da Eletrobras Furnas,
Ricardo Medeiros, placas comemorativas dos 60 anos da ​empresa


Em discurso, Wilson Ferreira Junior destacou o papel da Eletrobras Furnas no desenvolvimento do país e do setor elétrico. “Furnas é, entre as empresas Eletrobras, uma das maiores, das mais antigas e das que mais contribuem para o desenvolvimento, especialmente do Sudeste”, afirmou.


O executivo lembrou a importância da empresa neste momento em que se busca maior integração do sistema. “Um de nossos projetos mais importantes é a criação do Centro de Serviços Compartilhados (CSC) Eletrobras, que contribuirá para fortalecer o espírito de grupo entre nossas empresas, integrando processos, anulando tarefas redundantes nas unidades operacionais, melhorando os níveis de serviço e reduzindo os custos da companhia. As instalações de Furnas estão abrigando fisicamente o futuro CSC Eletrobras. Até 2018, todas as empresas Eletrobras estarão trabalhando com seus serviços transacionais plenamente integrados no CSC”, explicou.


O presidente da Eletrobras também ressaltou a participação do projeto Pro-ERP nesse processo. “Para o sucesso da implantação do CSC, é necessária, ainda, a unificação dos sistemas de todas as nossas empresas, que será feita com a utilização da ferramenta SAP, dentro do projeto Pro-ERP. As equipes responsáveis por esse projeto também estão instaladas aqui em Furnas”, destacou.


O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, lembrou a necessidade de integração para a recuperação do setor elétrico. “Precisamos unir os nossos esforços para reorganizar nossa casa, nossas despesas. Muito em breve, as empresas Eletrobras vão recuperar todo o seu poder de investimento. Vamos voltar a ser indutores de desenvolvimento em geração e transmissão, mas precisamos fazer algumas correções. Estou otimista, e quero dividir com vocês o nosso otimismo. No final de tudo isso, teremos as empresas Eletrobras mais fortes do que antes”, disse.


O diretor-presidente da Eletrobras Furnas, Ricardo Medeiros, reforçou a importância da contribuição dos colaboradores da empresa. “Estamos nos preparando para construir um novo ciclo desta história de pioneirismo, que já dura 60 anos. E preciso de cada um de vocês, colaboradores de Furnas, para vencer os desafios que nos são postos neste momento. Precisamos responder mais rapidamente aos anseios da sociedade, precisamos aumentar a integração entre nossos decisores e nossos colaboradores, o que requer uma reestruturação organizacional, que nossas empresas estão realizando. Queremos uma empresa que continue sendo orgulho dos brasileiros e principalmente orgulho de todos os seus colaboradores”, afirmou.


Também participaram do evento o diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata; o diretor-presidente da Eletrobras Eletronuclear, Bruno Barretto; o diretor geral do Eletrobras Cepel, Marcio Szechtman; e os diretores da Eletrobras Lucia Casasanta, de Conformidade; Alexandre Aniz, Jurídico e de Gestão Corporativa; e José Antonio Muniz Lopes, de Transmissão, entre outras autoridades.



Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras - Foto: Divulgação (Ministério de Minas e Energia)

  
31/03/2017geração de energiaA Eletrobras divulgou, nesta sexta-feira (31), comunicado ao mercado com esclarecimentos sobre Socie

​A Eletrobras divulgou, nesta sexta-feira (31), comunicado ao mercado com esclarecimentos sobre Sociedades de Propósito Específico (SPEs) nas quais suas empresas detêm participação acionária.​​​

Leia aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras

  
31/03/2017transmissão de energiaA Eletrobras divulgou fato relevante com esclarecimentos a respeito da ação coletiva movida por inve

​A Eletrobras divulgou, nesta sexta-feira (31), fato relevante com esclarecimentos a respeito da ação coletiva movida por investidores nos Estados Unidos (class action).​​​


Leia aqui a íntegra do fato relevante



Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​​​

  
29/03/2017financeiroA Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado nesta quarta-feira (29), que não foi notif

​A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado nesta quarta-feira (29), que não foi notificada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) acerca de conclusão da fiscalização dos créditos devidos pela Conta de Consumo de Combustíveis (CCC)/Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) às suas distribuidoras, referente ao período de 2009 até 2016.​​​

Acesse aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​​

  
28/03/2017FinanceiroA Eletrobras divulgou, nessa segunda-feira (27), edital de convocação para a 57ª Assembleia Geral Ordinária e a 167ª Assembleia Geral Extraordinária, que serão realizadas em 28 de abril.

​A Eletrobras divulgou, nessa segunda-feira (27), edital de convocação para a 57ª Assembleia Geral Ordinária e a 167ª Assembleia Geral Extraordinária, que serão realizadas em 28 de abril.​​​

Leia aqui a íntegra do documento.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​​​

  
28/03/2017InstitucionalApós quatro anos, a Eletrobras voltou a apresentar lucro em seus resultados anuais. Em 2016, a companhia registrou um resultado positivo de R$ 3,426 bilhões.

Após quatro anos, a Eletrobras voltou a apresentar lucro em seus resultados anuais. Em 2016, a companhia registrou, segundo balanço divulgado nessa segunda-feira (27), um resultado positivo de R$ 3,426 bilhões, revertendo prejuízo de R$ 14,4 bilhões do ano anterior. O principal impacto positivo foi pelo reconhecimento contábil referente à Rede Básica do Sistema Existente (RBSE – ativos de transmissão existentes em 31 de maio de 2000), cujo efeito líquido – descontados os impostos – foi de R$ 18,876 bilhões. A Eletrobras também agregou 1.465 MW a seu parque gerador e ampliou suas linhas de transmissão em mais 1.766 quilômetros. O Ebitda gerencial foi de R$ 3,496 bilhões.

Os principais impactos negativos foram os prejuízos das empresas de distribuição, que totalizaram R$ 6,985 bilhões; provisões referentes ao impairment e contrato oneroso de Angra 3, no montante de R$ 2,886 bilhões e R$ 1,350 bilhão, respectivamente; provisões para contingências no valor total de R$ 3,994 bilhões, com destaque para o empréstimo compulsório; outros impairments (excluindo Angra 3) de R$ 2,651 bilhões e uma provisão para perdas em investimentos no valor de R$ 1,479 bilhão.​

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
22/03/2017A Eletrobras enviou, ontem (21), comunicado ao mercado em esclarecimento às notícias veiculadas pela imprensa a respeito de prorrogação de prazo de inquérito investigativo que teria como objetivo apurar supostas irregularidades cometidas po

​A Eletrobras enviou, ontem (21), comunicado ao mercado em esclarecimento às notícias veiculadas pela imprensa a respeito de prorrogação de prazo de inquérito investigativo que teria como objetivo apurar supostas irregularidades cometidas por terceiros, incluindo ex-administradores de subsidiárias, no âmbito da Operação Lava Jato.​​​

Acesse aqui a íntegra do comunicado ao mercado.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​​

  
22/03/2017O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participou, ontem (21), do lançamento do livro “Energia Elétrica e Urbanização na Cidade do Rio de Janeiro”, no Museu de Arte do Rio. A obra é uma iniciativa do Centro da Memória da Eletri

​O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participou, ontem (21), do lançamento do livro “Energia Elétrica e Urbanização na Cidade do Rio de Janeiro”, no Museu de Arte do Rio. A obra é uma iniciativa do Centro da Memória da Eletricidade no Brasil, instituído em 1986 pela Eletrobras com o objetivo de preservar a história da formação e do desenvolvimento da indústria da eletricidade no país. Além de destacar o papel da Memória da Eletricidade como guardiã da história centenária do setor elétrico no Brasil, Wilson Ferreira prestou homenagem ao ex-presidente do centro, Mario Santos.​​​

Foto-Lançamento-Livro-Energia-Elétrica-e-Urbanização-na-Cidade-do-Rio-de-Janeiro-1.jpg

 Presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, presta homenagem a
Mario Santos, ex-presidente da Memória da Eletricidade

“Gostaria de agradecer ao meu amigo Mario Santos, que nos últimos sete anos esteve à frente da Memória, conduzindo esse excelente trabalho. Essa obra que hoje está sendo lançada só é possível graças a ele. Não só a Memória da Eletricidade, mas também o país devem muito a ele”, disse o executivo. Mario Santos, que também foi presidente da Eletrobras, despediu-se da presidência da Memória da Eletricidade no evento.

Durante a cerimônia, os profissionais que iniciaram o projeto do livro há 30 anos participaram de um debate, explicando como a ideia havia surgido e os passos iniciais.

Mario Santos destacou o trabalho dos pesquisadores responsáveis pelo livro. “Durante sete anos meu maior objetivo, que hoje está alcançado, foi garantir que a Memória tivesse perpetuidade. Convido todos vocês a garantirem que ela permaneça, no futuro, com o mesmo papel que tem hoje”, falou.

Mais sobre o livro
A obra tem 320 páginas e conta com mais de duas centenas de fotos e ilustrações provenientes do acervo da própria Memória da Eletricidade, da Fundação Biblioteca Nacional, do Arquivo Nacional, do Arquivo Geral da Cidade, do Clube de Engenharia e de outras instituições.​

Foto-Lançamento-Livro-Energia-Elétrica-e-Urbanização-na-Cidade-do-Rio-de-Janeiro-2.jpg

O livro recua até 1870 para contar o papel da energia elétrica na urbanização da antiga capital federal. Ao longo dos seus cinco capítulos, examina as relações entre o desenvolvimento do tecido urbano e o consumo de energia elétrica do Rio de Janeiro, que ganharam impulso decisivo no início do século passado, quando as inovações tecnológicas relacionadas à produção, transmissão e distribuição de energia elétrica concorreram para a disseminação da nova forma de energia.

A pesquisa enfrentou problemas operacionais, segundo a coordenadora editorial da publicação, a historiadora Ligia Cabral, como o fato de que a digitalização de documentos era muito rara quando o trabalho começou, há cerca de 30 anos. “A equipe responsável precisou realizar muita pesquisa presencial para levantar e armazenar uma massa de informações considerável”, disse Ligia, chefe da Coordenadoria de Pesquisa da Memória da Eletricidade.​


Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras - Fotos: Jorge Coelho (Eletrobras)​

  
17/03/2017A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado nesta sexta-feira (17), que a agência de classificação de risco Moody's reafirmou o rating da companhia em "Ba3" e alterou a perspectiva de negativa para estável.

​A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado nesta sexta-feira (17), que a agência de classificação de risco Moody's reafirmou o rating da companhia em "Ba3" e alterou a perspectiva de negativa para estável.

Leia aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​​

  
16/03/2017A Eletrobras enviou comunicado ao mercado com esclarecimentos sobre a recomendação de candidatos para a diretoria da Itaipu Binacional.

​A Eletrobras enviou comunicado ao mercado com esclarecimentos sobre a recomendação de candidatos para a diretoria da Itaipu Binacional.​​​

Acesse aqui a íntegra do comunicado ao mercado.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras - Atualizado em: 17/03/2017​

  
16/03/2017O Centro da Memória da Eletricidade no Brasil lançou ontem (15), na Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, o livro “Eletrificação Rural no Brasil: Uma visão histórica”, que narra, com fotos e mapas inéditos, a saga do caminho perc

O Centro da Memória da Eletricidade no Brasil lançou ontem (15), na Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, o livro “Eletrificação Rural no Brasil: Uma visão histórica”, que narra, com fotos e mapas inéditos, a saga do caminho percorrido até que o Brasil atingisse 92% de acesso dos domicílios rurais à eletricidade. O livro foi realizado com o apoio da Eletrobras e do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

O presidente da Memória da Eletricidade, Mario Santos, também ex-presidente da Eletrobras, destacou o significado especial dessa obra. “É com muito orgulho que lançamos um livro que trata de 50 anos de esforço na eletrificação rural no Brasil. Essa história é também a história das nossas vidas, da vida de todos nós do setor elétrico brasileiro. É uma honra contar uma história da qual você fez parte e sabe que teve um final feliz”, destacou Mario Santos, lembrando que a eletrificação rural levou dignidade e integração aos moradores do campo.​

Foto-Lançamento-Livro-Eletrificação-Rural-no-Brasil-1.jpg

Presidente da Memória da Eletricidade, Mario Santos ​

​Já a superintendente de Programas de Governo da Eletrobras, Renata Leite Falcão, que representou o presidente da empresa, Wilson Ferreira Junior, no evento, destacou a importância do Programa Luz para Todos nesse processo de inclusão social a partir da eletrificação. “Não se pode falar em eletrificação rural sem destacarmos o papel desempenhado pelo Programa Luz para Todos, coordenado pelo Ministério de Minas e Energia e executado pela Eletrobras. Desde sua criação, em 2003, o programa beneficiou 3,3 milhões de famílias, o que representa cerca de 16 milhões de brasileiros que passaram a ter acesso a esse serviço público essencial em suas casas”, disse Renata, que destacou também o papel que a Memória da Eletricidade tem na preservação da história do setor elétrico. “As novas gerações só podem conhecer todos os grandes feitos do setor elétrico brasileiro porque a Memória se dispôs a contar essas histórias”, concluiu.​

Foto-Lançamento-Livro-Eletrificação-Rural-no-Brasil-2.jpg

Superintendente de Programas de Governo da Eletrobras, Renata Leite Falcão​

Sobre o livro e a Memória da Eletricidade
A obra fala dos obstáculos que os processos de eletrificação rural precisaram superar, não só no Brasil, mas também nos Estados Unidos, na França e no Canadá, cuja origem encontra-se no pequeno interesse das concessionárias elétricas na prestação do serviço fora dos grandes centros, ocasionado pelos altos custos técnicos de instalação e distribuição, associados à baixa densidade demográfica e à natureza sazonal do uso elétrico no campo. Em todos os países, foi somente com o incentivo estatal que a maior parte das lavouras e domicílios rurais passaram a contar com energia elétrica, possibilitando não só a modernização da agricultura e o aumento da produtividade, por intermédio do uso crescente de processos mecânicos, mas também a maior qualidade na vida doméstica rural.

O Centro da Memória da Eletricidade no Brasil - Memória da Eletricidade é uma entidade cultural sem fins econômicos, instituída em 1986 por iniciativa da Eletrobras, e mantida por empresas e órgãos do setor de energia elétrica brasileiro. Seu objetivo é preservar a história da formação e do desenvolvimento da indústria da eletricidade no país.​

​​

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras - Fotos: William Mattos (Memória da Eletricidade)​

  
15/03/2017Na manhã desta quarta-feira (15), o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participou de evento em comemoração aos 69 anos da Eletrobras Chesf, na sede da empresa, em Recife. Também estiveram presentes o ministro de Minas e Energ

Na manhã desta quarta-feira (15), o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participou de evento em comemoração aos 69 anos da Eletrobras Chesf, na sede da empresa, em Recife. Também estiveram presentes o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e o presidente da Eletrobras Chesf, Sinval Gama.

Durante o evento, foi lançado o Programa de Obras e Modernização da Chesf, com mais de 400 projetos – entre novos empreendimentos e modernizações – a serem realizados nos anos de 2017 e 2018, que beneficiarão todos os estados do Nordeste. Serão investidos cerca de R$ 3,3 bilhões, dos quais R$ 2 bilhões já foram viabilizados neste ano​.

Foto-Aniversário-69-Anos-Eletrobras-Chesf.jpg

O presidente da Eletrobras Chesf, Sinval Gama, corta o bolo comemorativo, ao
lado do ministro Fernando Coelho Filho e do presidente da Eletrobras,
Wilson Ferreira Junior ​

*Com informações da Eletrobras Chesf​

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras* - Foto: Divulgação (Eletrobras Chesf)​

  
14/03/2017O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participaram nesta terça-feira (14), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, da cerimônia de assinatura do novo termo de compromisso para ex

​O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, participaram nesta terça-feira (14), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, da cerimônia de assinatura do novo termo de compromisso para execução das obras do Programa Luz para Todos no estado de Mato Grosso. O início das obras está previsto para junho deste ano e os investimentos estimados são da ordem de R$ 270 milhões. O aporte possibilitará o atendimento a 17.790 famílias, beneficiando cerca de 72 mil pessoas. O evento também contou com a presença do governador de Mato Grosso, Pedro Taques, do diretor de Engenharia da Eletrobras Eletronorte, Wilson Fernandes de Paula, e do diretor-presidente da Energisa, Riberto Barbanera.​​​​

​​​​Foto-Evento-Luz-para-Todos-em-Mato-Grosso.jpg

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, assina o novo termo
de compromisso do Luz para Todos em Mato Grosso​


Durante seu discurso, o ministro Fernando Coelho Filho ressaltou a importância do Luz para Todos como catalisador do desenvolvimento das regiões que são atendidas pelo programa. “Não é simplesmente levar energia e abrir as portas para tudo que a modernidade permite, mas também colocar renda para o produtor, aumentando a qualidade de vida de seus familiares”, analisou.

Nas obras do novo termo de compromisso, serão utilizados cerca de 150 mil postes, mais de 17 mil transformadores e aproximadamente 18,3 milhões de metros de cabos de alumínio. A nova fase também tem previsão de gerar cerca de mil empregos diretos e indiretos, considerando equipes de construção, estrutura administrativa, transporte e armazenamento de materiais.

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, manteve a empresa à disposição nessa nova etapa. “O Brasil se desenvolve a partir de iniciativas como essa. Enquanto Eletrobras, seja como órgão gestor ou fiscalizador, nos mantemos à disposição para levar esse benefício com a maior brevidade possível para a população”, afirmou.​

Foto-Evento-Luz-para-Todos-em-Mato-Grosso-1.jpg

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, à direita, ao lado do ministro
de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e do governador de Mato Grosso,
Pedro Taques​


O diretor de Engenharia da Eletrobras Eletronorte, Wilson Fernandes de Paula, acredita que a empresa tem um papel fundamental nessa etapa. “A Eletronorte operacionaliza as ações do Luz para Todos no estado, por isso, estamos empenhados na contribuição e na implantação dessas novas ligações”, destacou.

Segundo o diretor do Departamento de Políticas Sociais e Universalização do Acesso à Energia do Ministério de Minas e Energia, Aurélio Pavão, o Comitê Gestor Estadual do programa, coordenado pela Eletrobras Eletronorte, irá definir a relação dos municípios a serem beneficiados nessa nova fase. “Serão cerca de 70 municípios, que ainda estão em fase de priorização. Em um prazo de 15 dias, a lista já deve ser definida. Vai se tornar um programa de obras e ser contratado com a Eletrobras”, explicou.

Também participaram da cerimônia o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Fábio Alves, o assessor da Presidência da Eletrobras Eletronorte, Zenon Pereira Leitão, representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), prefeitos de diversos municípios, parlamentares de Mato Grosso e futuros beneficiários do programa.​

​​Foto-Evento-Luz-para-Todos-em-Mato-Grosso-2.jpg

Sobre o Luz para Todos
O Luz para Todos, que tem como objetivo levar energia elétrica ao meio rural brasileiro, já beneficiou 3,3 milhões de famílias e cerca de 16 milhões de brasileiros. O programa é coordenado pelo Ministério de Minas e Energia, operacionalizado pela Eletrobras e tem como agentes executores as concessionárias e permissionárias de distribuição de energia elétrica e as cooperativas de eletrificação rural.

Os investimentos contratados pelo Luz para Todos totalizam R$ 23 bilhões, dos quais R$ 17,2 bilhões são recursos do governo federal, que já liberou R$ 14,3 bilhões para as concessionárias de energia elétrica.

No estado de Mato Grosso, o programa já atendeu 126,9 mil famílias, beneficiando cerca de 620 mil mato-grossenses, com investimento de R$ 1,1 bilhão.

*Com informações da Assessoria de Comunicação Social do Ministério de Minas e Energia e da Eletrobras Eletronorte​


Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras* - Fotos: Divulgação (Ministério de Minas e Energia e Eletrobras Eletronorte)​

  
13/03/2017A Eletrobras informou, nesta segunda-feira (13), em comunicado ao mercado em esclarecimento a notícias veiculadas pela imprensa em 10 de março, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) teria reconhecido que houve cobrança indevida

​A Eletrobras informou, nesta segunda-feira (13), em comunicado ao mercado em esclarecimento a notícias veiculadas pela imprensa em 10 de março, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) teria reconhecido que houve cobrança indevida nas tarifas de energia elétrica relativa a custos de encargos operacionais da usina nuclear Angra 3, que a Eletrobras Eletronuclear, proprietária do empreendimento, não recebeu qualquer recurso financeiro proveniente dessa suposta cobrança indevida e que o Contrato de Energia de Reserva celebrado entre a Eletronuclear e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) só admite o ingresso de quaisquer recursos após a entrada em operação comercial da usina, o que não ocorreu até o momento.​

Leia aqui a íntegra do comunicado ao mercado.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
07/03/2017A Eletrobras informou ontem (6), em comunicado ao mercado, que adotará, a partir de 2017, o sistema de votação a distância por meio do Boletim de Voto, para fins de participação de seus acionistas em suas assembleias gerais ordinárias e ext

​A Eletrobras informou ontem (6), em comunicado ao mercado, que adotará, a partir de 2017, o sistema de votação a distância por meio do Boletim de Voto, para fins de participação de seus acionistas em suas assembleias gerais ordinárias e extraordinárias nas quais seja objeto de deliberação a eleição de membros para o Conselho Fiscal e/ou do Conselho de Administração.​​​

Acesse aqui a íntegra do comunicado ao mercado.

Fonte: Co​municação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
07/03/2017A Eletrobras lançou, hoje (7), o Programa de Patrocínio das Empresas Eletrobras a Eventos do Setor Elétrico 2017. O edital está em sua sexta edição e este ano vai destinar recursos no valor total de R$ 1,405 milhão ao patrocínio dos projeto

A Eletrobras lançou, hoje (7), o Programa de Patrocínio das Empresas Eletrobras a Eventos do Setor Elétrico 2017. O edital está em sua sexta edição e este ano vai destinar recursos no valor total de R$ 1,405 milhão ao patrocínio dos projetos selecionados. Os interessados podem se inscrever até às 23h59min (horário de Brasília) do dia 10 de abril, no endereço www.eletrobras.com/editaleventos. No link, estão disponíveis também o Edital e o Manual do Proponente.

As empresas Eletrobras entendem como concernentes ao setor elétrico os eventos ligados aos negócios de geração, transmissão, distribuição ou comercialização de energia elétrica; os ligados às áreas de gestão (por exemplo, finanças, gestão de pessoas, tributação, contabilidade e regulação), mas focados principalmente no setor elétrico; e ligados à pesquisa, desenvolvimento e inovação que estejam relacionados ao setor elétrico direta ou indiretamente. O programa é aberto somente a proponentes pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e patrocinará somente eventos realizados no Brasil.

Será aceita a inscrição de projetos, independentemente do valor dos seus orçamentos. No entanto, o patrocínio pelas empresas contratantes não ultrapassará o valor de R$ 150 mil por projeto.

Todos os projetos deverão ser executados no período de 15 de maio de 2017 a 31 de março de 2018, ficando a critério da empresa contratante, mediante justificativa apresentada, a extensão deste prazo.

A divulgação dos selecionados s​​erá realizada no dia 12 de maio de 2017.​​​

​Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
23/02/2017A Eletrobras enviou, nesta quinta-feira (23), comunicado ao mercado com esclarecimentos a respeito da notícia "Eletrobras considera 'inadequadas' indicações do governo para duas diretorias", veiculada pelo jornal "O Globo".

​A Eletrobras enviou, nesta quinta-feira (23), comunicado ao mercado com esclarecimentos a respeito da notícia "Eletrobras considera 'inadequadas' indicações do governo para duas diretorias", veiculada pelo jornal "O Globo".​​​

​​​​Leia aqui o comunicado ao mercado na íntegra.


Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
17/02/2017A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado hoje (17), que a Eletrobras Distribuição Acre, a Eletrobras Distribuição Amazonas, a Eletrobras Distribuição Rondônia e a Eletrobras Distribuição Roraima ingressaram, no dia 14 de fe

​A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado hoje (17), que a Eletrobras Distribuição Acre, a Eletrobras Distribuição Amazonas, a Eletrobras Distribuição Rondônia e a Eletrobras Distribuição Roraima ingressaram, no dia 14 de fevereiro, com pedido de reconsideração, com efeito suspensivo, contra a Resolução Homologatória da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nº 2.202, que aprovou o orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para o ano de 2017 e, assim fazendo, glosou valores que foram objeto de repactuações assinadas em 2014 e 2015 entre as distribuidoras e a CDE/Conta de Consumo de Combustíveis (CCC).​

​​Leia aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
14/02/2017A Eletrobras divulgou, nesta terça-feira (14), dois comunicados ao mercado com esclarecimentos sobre notícias veiculadas pelos jornais "Valor Econômico" e "Folha de S. Paulo".

​A Eletrobras divulgou, nesta terça-feira (14), comunicados ao mercado com esclarecimentos a respeito das notícias "Belo Monte depende da Eletrobras", veiculada pelo jornal "Valor Econômico", e "Empresas cobram R$ 750 mi da usina de Santo Antônio", veiculada pelo jornal "Folha de S. Paulo".

Leia aqui a íntegra do comunicado ao mercado sobre a notícia do jornal "Valor Econômico".

Leia aqui a íntegra do comunicado ao mercado sobre a notícia do jornal "Folha de S. Paulo".

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

  
14/02/2017O presidente da Eletrobras assinou o contrato de venda da distribuidora goiana nesta terça-feira (14), em solenidade que contou com a participação do secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia e do governador de Goiás.
​O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, assinou, nesta terça-feira (14), o contrato de venda da Celg D para o grupo Enel Brasil S.A., consolidando o processo de privatização da distribuidora goiana de energia. A solenidade foi realizada no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia, e contou com a participação do secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa, e do governador de Goiás, Marconi Perillo, além de representantes da empresa italiana Enel e diversas autoridades.

Foto-Assinatura-Contrato-Celg-D.jpg
Wilson Ferreira Junior, presidente da Eletrobras; Marconi Perillo, governador de Goiás; e Livio Gallo, representante da Enel

Para o presidente da Eletrobras, a venda da distribuidora pode ser considerada como o início ​de um círculo virtuoso do crescimento, abrindo as portas para a criação de novos investimentos. “É com felicidade de termos juntos conseguido levar esse processo até aqui”, disse durante a solenidade.

O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa, lembrou que a venda da Celg D faz parte de um grande movimento de recuperação da Eletrobras e o sucesso mostra a importância de ações conjuntas entre o governo federal e os governos estaduais.

Na avaliação de Pedrosa, a finalização do processo de venda é um movimento muito bom e sinaliza um novo momento para a economia do Brasil. “A recuperação da Celg D, baseada em investimentos e gestão, abre o caminho para que os processos de privatização continuem”, explicou. “O principal vitorioso é o consumidor do Estado de Goiás, mas ganham também todos os consumidores do Brasil, com a melhoria dos padrões regulatórios e com a atração de investimentos”, avaliou o secretário-executivo.​

​O leilão de privatização da Celg D foi realizado no dia 30 de novembro de 2016. A venda do controle acionário da distribuidora foi da ordem de R$ 2,187 bilhões, um ágio de 28% sobre o preço mínimo de R$ 1,708 bilhão. O processo de desestatização foi gerido pelo Ministério de Minas e Energia, com apoio técnico do BNDES.

​Comunicado ao mercado
Em comunicado ao mercado sobre a assinatura do contrato de compra e venda de ações da Celg D, enviado nesta terça-feira (14), a Eletrobras informou que recebeu, nesta data, o valor de R$ 1,065 bilhão relativo à referida alienação

Acesse aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras* - Foto: Divulgação (Governo de Goiás)​

*Com informações da Assessoria de Comunicação Social do Ministério de Minas e Energia

  
31/01/2017A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira (31), a aquisição da Celg Distribuição S.A. (Celg D) pela Enel Brasil S/A.

​A Eletrobras divulgou comunicado ao mercado informando que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira (31), a aquisição da Celg Distribuição S.A. (Celg D) pela Enel Brasil S/A.

Acesse aqui a íntegra do comunicado com o mercado

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras

  
30/01/2017A data prevista para a assinatura do contrato de compra e venda de ações da Celg Distribuição S.A. (Celg D) pela Eletrobras, Companhia Celg de Participações (CelgPar) e Enel Brasil S/A foi alterada para 14 de fevereiro.

​A Comissão de Licitação referente ao Leilão n° 02/2016/Celg D - PND, coordenada pelo BNDES, alterou a data prevista para assinatura do contrato de compra e venda de ações da Celg Distribuição S.A. (Celg D) pela Eletrobras, Companhia Celg de Participações (CelgPar) e Enel Brasil S/A para 14 de fevereiro de 2017, de modo que todos os procedimentos prévios à assinatura sejam observados após a aprovação do assunto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A informação está em comunicado ao mercado divulgado nesta segunda-feira (30) pela Eletrobras.​

Leia aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relaçõ​​es Institucionais da Eletrobras​

  
26/01/2017A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado enviado hoje (26), que a Eletrobras Chesf obteve decisão judicial que permitiu a liberação das quantias bloqueadas/penhoradas em processo que tramita na 12ª Vara Cível da Comarca de Recife.

​A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado enviado hoje (26), que a Eletrobras Chesf obteve decisão judicial que permitiu a liberação das quantias bloqueadas/penhoradas em processo que tramita na 12ª Vara Cível da Comarca de Recife.​​​

Acesse aqui a íntegra do comunicado ao mercado.

Fonte: Comunicação e​ Relações Institucionais da Eletrobras​

  
25/01/2017A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado nesta quarta-feira (25), que foi criada a Comissão Interna Transitória de Elegibilidade (Cite), nos termos dos artigos 14 e 64 §1º do Decreto 8.945/16, que regulamentou a Lei 13.303/

​A Eletrobras informou, em comunicado ao mercado divulgado nesta quarta-feira (25), que foi criada a Comissão Interna Transitória de Elegibilidade (Cite), nos termos dos artigos 14 e 64 §1º do Decreto 8.945/16, que regulamentou a Lei 13.303/2016 (Lei de Responsabilidade das Estatais).​​​

Leia aqui a íntegra do comunicado ao mercado.

Fonte: Comunicação e Re​lações Institucionais da Eletrobras​

  
24/01/2017A Eletrobras divulgou, nesta terça-feira (24), comunicado ao mercado com esclarecimentos a respeito das autorizações regulatórias necessárias para privatização da Celg Distribuição S.A. (Celg D).

​A Eletrobras divulgou, nesta terça-feira (24), comunicado ao mercado com esclarecimentos a respeito das autorizações regulatórias necessárias para privatização da Celg Distribuição S.A. (Celg D).​

Acesse aqui o comunicado ao mercado na íntegra.

Fonte: Comunicação e Relações Institucionais da Eletrobras​

1 - 30Próxima